Controversa: Nike Alphafly é proibido, Nike Vaporfly não.

Controversa: Nike Alphafly é proibido, Nike Vaporfly não.

Por RODRIGO DHAKOR

Por Rodrigo Dhakor

A controversa linha Vaporfly da Nike não será proibida, mas haverá regulamentações mais rígidas em torno dos tênis de alta tecnologia, diz a World Athletics (órgão fundado para atender à necessidade de uma autoridade governante mundial, de um programa de competição, de equipamentos técnicos padronizados e de uma lista de recordes mundiais oficiais).

O Nike Vaporfly NEXT% permanecerá legal. Apesar de existir no momento um conjunto de especialistas revisando o produto, ele poderá ser usado livremente por atletas nas Olimpíadas de Tóquio.

(Foto Nice Kicks)

Qualquer nova tecnologia de calçados desenvolvida após a data de 30 de Abril terá de estar disponível no mercado aberto por quatro meses antes que um atleta possa usá-la em competição.

A World Athletics também introduziu uma proibição imediata e indefinida de qualquer tênis com sola mais espessa que 40 mm.

O órgão também investigará quaisquer calçados que "possam não ser compatíveis", e uma proibição imediata e indefinida também foi introduzida em qualquer tênis que contenha mais de uma "placa ou lâmina rígida incorporada".

Para calçados com spikes (espinhos que trazem aderência e tração), uma placa ou lâmina adicional é permitida para fixa-los, mas a sola não deve ter mais de 30 mm de espessura.

Já o modelo protótipo Nike Alphafly usados ​​por Eliud Kipchoge quando ele se tornou o primeiro atleta a correr uma maratona em menos de duas horas em Outubro de 2019 serão proibidos., o que os tornam ilegais.

(Foto Runner's World Brasil)

O presidente mundial do atletismo, Lord Coe, disse: "Não é nosso trabalho regular todo o mercado de calçados esportivos, mas é nosso dever preservar a integridade da competição de elite, garantindo que os calçados usados ​​pelos atletas de elite na competição não ofereçam assistência ou vantagem injusta".

 A World Athletics agora estabelecerá um "grupo de trabalho especializado" para "orientar pesquisas futuras" sobre a tecnologia de calçados, além de avaliar qualquer novo calçado que entre no mercado.

 

(Foto Nike)

Segundo a Nike, os Vaporflys melhoram o desempenho de um atleta em 4%, e as cinco maratonas mais rápidas de todos os tempos foram realizadas nos últimos 16 meses por atletas que usam formas variadas da tecnologia.

A ex-maratonista olímpica britânica Mara Yamauchi disse anteriormente à BBC Sport que "não temos mais uma concorrência justa".

 A Nike afirmou em comunicado que "vai respeitar o espírito das regras e que não cria tênis de corrida que devolvam mais energia do que o atleta gasta".

Embora agora sejam realizadas mais pesquisas e as regras ainda possam se desenvolver, parece significativo que o órgão governante admita "preocupações de que a integridade do esporte possa estar ameaçada".

As mudanças também pressionam as empresas rivais a desenvolver rapidamente qualquer novo protótipo de calçados.

Eles têm três meses para fazer toda a mudança. Depois disso, os calçados precisarão estar disponíveis para compra por quatro meses antes de serem permitidos em competições de elite, o que descarta seu uso nas Olimpíadas.