Pela igualdade racial, Michael Jordan anuncia doação de US$ 100 milhões

Pela igualdade racial, Michael Jordan anuncia doação de US$ 100 milhões

Por RODRIGO DHAKOR

Em meio à onda de manifestações e protestos contra o racismo nos Estados Unidos, a lenda da NBA, Michael Jordan, anunciou na última sexta-feira (05) que vai doar 100 milhões de dólares para organizações que trabalham pela igualdade racial e justiça social.

O anúncio veio após o caso George Floyd, que por meio do racismo institucional e da brutalidade policial perdeu sua vida ao ter o pescoço pressionado pelo joelho de um policial branco em Mineápolis.

"Vidas negras importam. Esta não é uma afirmação controversa", afirmou Jordan no comunicado.

(Foto Getty Images)

O ex-astro do Chicago Bulls, juntamente com sua empresa Jordan Brand, distribuirá esse valor nos próximos 10 anos a "organizações dedicadas a garantir a igualdade racial, justiça social e maior acesso à educação", disse o comunicado divulgado por Estee Portnoy, porta-voz de Jordan.

(Foto Jordan Brand) 

 

A Jordan Brand somos nós, a comunidade negra.
A Jordan Brand é mais do que um homem. Sempre foi uma família. Nós representamos uma família orgulhosa que superou obstáculos, lutou contra a discriminação em comunidades ao redor do mundo e que trabalha todo dia para apagar o rastro de racismo e o estrago da injustiça.
O desejo, o trabalho, a excelência que o mundo tomou conhecimento é o resultado de uma geração após outra, derramando seus sonhos no próximo.
É 2020, e nossa família agora inclui qualquer um que aspira ao nosso modo de vida. Ainda que muita coisa tenha mudado, o pior continua o mesmo.
Vidas negras importam. Este não é um comunicado controverso. Até que o racismo arraigado que permite que as instituições do nosso país falhem em completamente erradicá-lo, nós seguiremos comprometidos em proteger e melhorar as vidas das pessoas negras.
Hoje, nós estamos anunciando que Michael Jordan e a Jordan Brand estarão doando US$ 100 milhões pelos próximos dez anos para organizações dedicadas a garantir a igualdade racial, a justiça social e o maior acesso à educação.

 

Jordan, que no passado foi criticado por não se comprometer com causas raciais e sociais, tem sido uma das figuras do esporte que levantou a voz nos últimos dias, aumentando a indignação nacional pela morte de Floyd durante uma operação.

O movimento "Black Live Matters", enfatizou a declaração de MJ: "Esta não é uma afirmação controversa. Até que o racismo que causa o fracasso das instituições de nosso país seja completamente erradicado, permaneceremos comprometidos em proteger e melhorar a vida das pessoas negras".

(Foto Getty Images)

O próprio Michael Jordan, vencedor de seis títulos com o Bulls nos anos 90, divulgou um comunicado no domingo (07) em apoio aos protestos.

"Estou do lado daqueles que estão denunciando o racismo e a violência arraigados contra pessoas de cor em nosso país", disse Jordan. "Basta", acrescentou.

As doações serão feitas em associação pela Nike, a Jordan Brand e Michael Jordan, um dos fundadores da companhia em 1984. Esta foi criada para desenhar os tênis que seriam usados pelo jogador nas partidas da NBA. No ano passado, a empresa arrecadou US$ 3,14 bilhões (R$ 15,6 bilhões). De acordo com a revista Forbes, a fortuna de Jordan é estimada hoje em US$ 2,1 bilhões (R$ 10,4 bilhões).