"Fake Supreme" abre loja na China e legitimiza mercado de falsificações

"Fake Supreme" abre loja na China e legitimiza mercado de falsificações

Por CONVIDADO THE GAME

Por Felipe Bichara

A Supreme Italia, mais conhecida como “Fake Supreme”acaba de abrir uma loja em Shangai. A marca, para os que não conhecem, se utiliza de uma brecha na lei e produz produtos com marcas e designs copiados da Supreme New York. Se não fizesse sucesso, não estaria expandindo seus negócios mundialmente. Há quem goste.

Para os verdadeiros amantes de streetwear, a marca é uma afronta e desrespeito. Deixando isso de lado, a marca escolheu um design original da Supreme “Original”. Utiliza das cores vermelho e branco, além da gigantesca logo “Supreme”e uma rampa de skate no interior da loja.

Se destacando pelo design, as imagens logo se espalharam na internet e atraíram reações de fãs reais da marca.

 

 

Apesar de admitir publicamente a criação de mercadorias piratas, a Supreme Italia vem construindo seus negócios abertamente com a ideia de que a Supreme NYC não tem autorização de vendas e marketing na China, mas a “marca cópia”obteve vendas de produtos e autorizações de mercado na região da Ásia-Pacífico.

Em uma entrevista recente, James Jebbia, criador da marca original afirma: 

“ a idéia de falsificações legais é uma farsa completa. Seria triste se uma nova geração pensasse que é realmente legítimo. Nós não fazemos uma tonelada de imprensa e estamos bem quietos. Esses caras estão aproveitando ao máximo isso.”

Dê uma olhada no nível de falsificação que a marca chegou, tentando copiar o ambiento e conceito completo da loja, fortalecendo e legitimizando tal prática.