Conheça algumas das novidades que a Apple apresentou a WWDC 2020

Conheça algumas das novidades que a Apple apresentou a WWDC 2020

Por RODRIGO DHAKOR

Na última segunda-feira (22), aconteceu a WWDC, conferência da Apple destinada aos seus desenvolvedores. O evento contou com apresentações dos novos sistemas operacionais para todos os dispositivos da empresa e do novos processadores para MacBooks. 

 

Este ano a conferência fugiu do convencional devido a pandemia e foi realizada totalmente online direto do Apple Park, em Cupertino, Califórnia, mas a apresentação ainda ficou por conta do CEO da empresa, Tim Cook

A empresa divulgou o lançamento do iOS 14 e três novidades chamaram a atenção. O App Library foi a primeira principal mudança do sistema. A opção promete organizar os aplicativos de forma automática de acordo com a utilidade de cada um e ainda dar destaque para aqueles usando com mais frequência.

(Foto Apple)

Os Widgets iOS também foram redesenhados no novo iOS. Agora eles têm tamanhos variados e também podem ser integrados a tela inicial. É possível customizá-los e selecionar, por exemplo, para exibir as notícias na tela inicial logo pela manhã ou deixar indicado o número de passos dados durante o dia.

Outra mudança é a mudança picture in picture. Que permite visualizar o vídeo por cima de outros aplicativos, como o Netflix já faz. É possível ainda sair do aplicativo sem pausar o vídeo.

A assistente virtual Siri recebeu um novo design e agora pode realizar tarefas mais avançadas, como enviar mensagens de áudio sem precisar entrar no aplicativo. A companhia também revelou que a Siri tem 20 vezes mais informações que antes.

O Mapas também foram redesenhados e agora tem a função do Look Around, que é parecida com o Google Street View. Já o recurso Finding great places funciona como um guia local.

Mapas agora indicara os caminhos para quem tem carro elétrico

(Foto Apple)

O recurso de mapas da Apple ainda vai ajudar os usuários a reduzirem a emissão de carbono. Será possível, por exemplo, dar preferência a caminhos de bicicleta e transportes públicos e até identificar rotas que tenham pontos de carregamento para carros elétricos

Os memojis, personagens pessoais que podem ser editados, receberam mais opções, como ajustar a idade, a cor da pele e escolher entre mais de 20 opções de cabelo. 

Memojis têm novos recursos para personalização

(Foto Apple)

Outra mudança interessante é a o App Clip, função que permite usar partes de aplicativos sem a necessidade de cadastros longos ou de fazer um download. O recurso pode ser aplicado em loja e restaurantes ou até para desbloquear um patinete compartilhado. A promessa é que será mais fácil de encontrar o aplicativo que você precisa na hora que precisa. O pagamento já será associado ao Apple Pay, assim não é necessário cadastrar uma nova forma de pagamento.

O iPad também foi atualizado para a versão 14 e o foco foi a otimização de aplicativos para o tamanho da tela do iPhone. Isso afetou diversos aplicativos nativos, como ligações, fotos e o mecanismo de buscas.

Aqui os Widgets também estão presentes maior e com mais informação. Uma das mudanças são as barras laterais com mais informações disponíveis e melhor navegação. No geral, o iPad ficou com uma "cara" de um MacBook com opções de acessibilidade de um iPhone.

Umas das principais mudanças do ecossistema foi o design. O foco foi a elegância e a clareza. Os comados de controle e os Widgetsque, por exemplo, foram colocados juntos deixando o processo de ajustes do sistema mais rápido. As mesma funções do iPhone, como os mapas e os widgets, estarão no sistema operacional dos computadores da Apple com a versão 14.

Os fones sem fio da Apple receberam uma atualização empolgante para quem gosta de áudio. A função "Spatial Audio" tem como objetivo replicar a sensação de um cinema no fone para criar um áudio mais imersivo.

Earpods ganham função para simular som de cinema

(Foto Apple)

A atualização também conta com a sincronização automática do fone nos diversos dispositivos Apple, assim não é necessário conectar manualmente do iPhone para o iPad, por exemplo.

Depois de 16 anos utilizando processadores Intel em seus computadores, a Apple confirmou a produção própria. Os processadores ARM, tecnologia da Apple, já são utilizado nos iPhones e iPads e passará a integrar os novos modelos de MacBook e iMac.

A empresa alega que isso aumentará a compatibilidade entre o hardware e o software dos dispositivos. A promessa é que isso aumentará a velocidade e eficiência dos dispositivos. 

Apple usará processadores próprios em seus computadores

(Foto Apple)

Para ajudar nessa transição, a Apple criou um sistema que "traduz" os aplicativos dos modelos antigos de computador para os novos. A empresa pretende entregar os primeiros computadores com a nova tecnologia até o final do ano.