Lucro da Nike cai 5% no 4º tri fiscal, para R$ 7,77 bilhão

Lucro da Nike cai 5% no 4º tri fiscal, para R$ 7,77 bilhão

A Nike reportou lucro de U$ 1,44 bilhão (R$ 7,77 bi) no quarto trimestre fiscal de 2022, encerrado em 31 de maio, queda de 5% em relação ao mesmo período de 2021. Diluído por ação, o lucro foi de U$ 0,90, pouco abaixo do U$ 0,93 reportados no ano anterior.

A receita da companhia teve ligeira queda de 1% na comparação com um ano antes, somando U$ 12,23 bilhões. Desconsiderando os efeitos cambiais, a queda foi de 3%.

A margem bruta ficou em 45%, enquanto entre março a maio de 2021, o indicador era de 45,8%.

As vendas diretas ao consumidor cresceram 7% no período, enquanto as dos canais digitais subiram 15%, sustentando o avanço total de 6% das vendas da marca Nike. No trimestre, a marca Nike registrou faturamento de U$ 11,65 bilhões, queda de 1%.

O diretor-presidente da companhia, John Donahoe, declarou que os resultados são “prova da força inigualável de marcas e da profunda conexão com os consumidores”.

No recorte regional, a América Latina e Pacífico asiático foi a que mais cresceu, 15% ante o quarto trimestre fiscal de 2021, com faturamento de U$ 1,68 bilhão. Impulsionada pela divisão de calçados, com receita de U$ 1 bilhão, alta de 19%. Já a China, reportou queda de 19% nas receitas.

Com os resultados acima, a Nike encerrou o ano fiscal com lucro líquido de U$ 6,05 bilhões, alta de 6% ante o ano anterior. As receitas cresceram 5%, para U$ 46,71 bilhões.


(Foto: Getty Images)

Já o faturamento da marca Nike subiu 5%, para U$ 44,44 bilhões, ancorado pela receita da divisão de calçados, que teve receitas de U$ 29,14 bilhões no ano fiscal de 2022.

Entre as regiões, a América da Norte faturou U$ 17,18 bilhões, alta de 7% na base anual, enquanto a América Latina e Pacífico asiático teve receitas perto de U$ 6 bilhões, avanço de 11%.

Após os resultados, a companhia aprovou um programa de recompra de ações ordinárias classe B no total de U$ 18 bilhões, substituindo o atual programa em aberto de U$ 15 bilhões.

Há pouco, as ações da Nike subiam 1% no pós-mercado da bolsa de Nova York, cotadas a U$ 111,61. No pregão regular, os papéis recuaram 2,13%, a U$ 110,50.