5 coisas que podemos aprender com o relatório financeiro do primeiro trimestre de 2019 da Adidas

5 coisas que podemos aprender com o relatório financeiro do primeiro trimestre de 2019 da Adidas

Por STAFF THE GAME

Por Rodrigo Dhakor

A Adidas superou a expectativa dos analistas ao reportar avanço de 17% no lucro líquido do primeiro trimestre de 2019, perante um ano antes, somando 632 milhões de euros (US$ 707,3 milhões ou R$ 2.212,34 bilhões). A expectativa dos analistas era de um total de 576 milhões de euros.

O bom resultado foi impulsionado principalmente pelo forte crescimento da margem bruta da Adidas, destacou o banco de investimentos RBC Capital Markets. A margem bruta subiu 2,5 pontos percentuais, para 53,6%, e margem operacional melhorou de 13,4% para 14,9%, de acordo com os dados da Adidas. 

As vendas cresceram 6%, para 5,88 bilhões de euros, e tiveram alta de 4% em moeda constante, que desconsidera efeitos cambiais. Em moeda constante, as vendas da marca Reebok, pertencente à Adidas, caíram 6%. 

O mercado de maior destaque nos resultados foi o asiático, onde as vendas tiveram aumento de 12%, especialmente o crescimento de 16% na China. Na América Latina e na Europa, as vendas caíram 3%, enquanto na América do Norte subiram 5%.

O grupo alemão espera um crescimento das vendas entre 3% e 4% nessa fase de fim do primeiro semestre de 2019 e aceleração durante a segunda parte do ano. No calendário completo, a companhia estima crescimento de vendas em moeda constante de 5% a 8%, aumento da margem operacional entre 11,3% e 11,5% e crescimento de 10% a 14% no lucro líquido nas operações contínuas. 

(Foto Baller Status)

Entre os destaques apontados pelo relatório anual, podemos aprender que:

1. Future Crafting, Better e E-Comms  

O e-commerce teve um aumento de 40% em suas vendas exclusivas, como o lançamento do Alpha Edge 4D  e a chegada do Adidas App, que foi baixado nove milhões de vezes em todo mundo.

2. Reebok é um problema?

Infelizmente sua marca subsidiária Reebok fechou com uma diminuição na receita global de 6%, devido a sua queda em todos os mercados. A América do Norte foi a região com a maior diminuição, registrando uma baixa de 12%.

3. Novos modelos ...

A introdução bem sucedidas do Ultra Boost 2019 e do Nite Jogger no catálogo, ajudaram as categorias Running e Lifestyle da marca a melhorar em 3% para uma e 6% para outra, respectivamente.

4. Grandes movimentos em regiões de crescimento estratégico 

A marca comemorou um crescimento de dois dígitos na China, África e Rússia durante o primeiro trimestre, atribuindo melhorias às fortes vendas nas categorias de Performance e Lifestyle.

5. As coisas melhoraram na Europa

O aumento das vendas nas categorias de Lifestyle e Performance levaram a marca a um aumento de receita de 4% (moeda neutra) no geral. No entanto, foi um salto de 6% na Europa, uma vitória chave para a Adidas. Treinamentos e melhores formas em execução de vendas foram os principais impulsionadores de melhoria do primeiro trimestre.