Air Jordan 1 x Trophy Room: O maior backdoor da história?

Air Jordan 1 x Trophy Room: O maior backdoor da história?

Por RODRIGO DHAKOR

Trophy Room, loja de tênis de Marcus Jordan, filho de Michael Jordan, lançou recentemente sua colaboração e interação destinada ao modelo Air Jordan 1.

O modelo que apresenta a colorway "Chicago" aprimorada com efeitos brilhantes, faz um aceno para um boato de que estrelas experientes da NBA como Isaiah Thomas, Magic Johnson e George Gervin planejaram "boicotar' Michael Jordan de jogar o All-Star Game no seu ano de novato.

Como esperado, todos os pares se esgotaram em apenas 90 minutos. Muita gente não conseguiu nem sentir o cheiro do sorteio, e surpreendentemente, uma grande parte dos exemplares foram parar "nas mãos" de resellers, como Benjamin Kickz e Sheikh’s Closet, se tornando o que estão chamando de "o maior backdoor da história".

 

O fato não agradou muitos, e esses muitos acreditam no boato que: " supostamente, as porta da Trophy Room estava abertas durante o lançamento e revendedores como Benjamin Kickz estavam entre os primeiros que tiveram recusa de conquistar um par de forma 'legal' "

 

É quase impossível comprovar qualquer rumor, mas infinitos pares de Trophy Room x Nike Air Jordan 1 na sala de alguém não ajudam muito a confiar nas políticas da loja de Marcus Jordan. 



Não é segredo que algumas lojas têm um "VIP" reservado para amigos e/ou abrem "sorteios diferentes" para "clientes fiéis" (aqueles que gastam dinheiro em lançamentos comuns). Esses são colocados até em "sorteios imaginários", aumentando suas chances de conseguir um par de tênis. Independentemente disso, geralmente são pares únicos e poucos, não dezenas ou centenas.

 

Diversas possibilidades foram lançadas para o que possa ter acontecido. Acreditam que para conseguir os pares os ressellers pagaram imediata revenda. Outra teoria sugere que os pares podem ser falsos, mas isso é improvável, considerando a notoriedade que Kickz possui no jogo da revenda, e também se pensar na logística necessária para comprar tantos pares rapidamente após o lançamento.

(Foto Trophy Room)

As imagens divulgadas, de maneira objetiva, mostram que o lançamento limitado a apenas 12.000 saiu das prateleiras e foi direto para as mãos de revendedores.

Revender faz parte do jogo, mas existe uma enorme diferença entre um cliente sorteado e um backdoor organizado que fornece a revendedores conhecidos muito mais do que uma fatia justa do lançamento.

Este "problema" não é recorrente apenas no lançamento do Trophy Room x Air Jordan 1, mas acontece com inúmeros outros lançamentos. O que faz desse backdoor parecer maior e diferente é apenas a conexão Trophy Room x Marcus Jordan x Michael Jordan x Jordan Brand.

Possivelmente, Benjamin Kickz tirou o maior proveito de um sistema já instalado na cena dos lançamentos. A responsabilidade de "tentar um bloqueio" precisa vir de dentro das lojas, da Trophy Room, por exemplo, ou até mesmo da Nike, não permitindo que isso aconteça. Mas existem muitas coisas em questão que não sabemos.

(Foto: Reprodução / StockX)

Nike e Trophy Room não se sentem culpadas, mas se enfatizar que para uma marca que pode "dar e tirar o doce da boca" de um varejista da maneira que achar conveniente, definitivamente mais pode ser feito para estabelecer políticas e regras que sejam menos "atrativas"?.

Contatada, a Nike divulgou apenas a seguinte declaração: "Continuamos comprometidos em servir nossos consumidores com produtos Jordan autênticos por meio da Nike.com, e em nossa forte rede de distribuição e canais tanto on-line quanto no varejo convencional".

Já a Trophy Room não quis comentar sobre o caso.

Benjamin Kickz não revela suas fontes, e nessa garantiu dólares para as próximas gerações.

E sabemos apenas que hoje, (22), o Trophy Room x Nike Air Jordan 1 está sendo revendido por mais de U$ 3.160 (Aprox. R$ 17.358,83) na plataforma StockX .


✔️ Produto adicionado com sucesso.