StockX nega confirmação de legit e enquadra tênis comprado na Adidas Brasil como fake

StockX nega confirmação de legit e enquadra tênis comprado na Adidas Brasil como fake

Por RODRIGO DHAKOR

Por Rodrigo Dhakor

Lançada em fevereiro de 2016, a plataforma de comércio eletrônico StockX nasceu como um hobby, tomou enorme proporção, virou um site que transforma tênis em especulação e é hoje um mercado que movimenta mais de US$ 1 bilhão. Um número baixo perto do total de US$ 38 bilhões relacionados a venda de tênis nos Estados Unidos.

Lá é possível comprar e vender todo o tipo de tênis (Aproximadamente 70% das mercadorias da StockX são tênis, seguidos de 20% de produtos do streetwear e cerca de 5% de relógios e bolsas), dar lances em modelos raros e acompanhar o histórico de preços. É a base de um mercado de revenda que movimenta mais de US$ 1 bilhão ao ano segundo a Forbes (já a StockX diz que ele gira em torno de US$ 6 bilhões).

A plataforma funciona como ponte de negociação entre vendedores e compradores. A StockX acompanha e processa o valor de mercado da mercadoria determinada. Em seguida quando uma negociação é concluída, a empresa fica com 9,5% do valor da transação, o vendedor recebe sua quantia e o comprador o seu produto.

Antes de todo esse processo, a empresa filtra a legitimidade de qualquer produto que pudera ser adicionado a plataforma por meio de seu elaborado processo de autenticação. (StockX só vende tênis originais e autênticos que não foram usados ​​e estão em sua caixa original).

Em um sistema desenvolvido por um ex-funcionário de logística da Delta Airlines, o produto chega ao local e passa por uma série de inspeções, que vão desde a análise do quão alto está apontando um Swoosh da Nike, passando pelo tamanho do logo Jumpman Air Jordan até o padrão das solas Boost da Adidas. Algumas vezes, os responsáveis pela autenticação identificam a falsificação pelo cheiro da cola usada para unir parte do tênis. Tudo para conseguir encontrar os erros em produtos com grau de falsificação de apenas 5%.

Assim como no mercado de ações tradicional, é possível especular preços e ficar atento quanto a fraudes. A falsificação, aliás, é um dos maiores problemas do mercado e um dos pontos onde a StockX luta para manter a integridade de seu serviço. E um fato curioso aconteceu envolvendo um modelo de tênis enviado do Brasil em meio a esse processo de autenticação.

André Henrique é um conceituado revendedor de sneakers da cidade de São Paulo. Seu negócio de compra, venda e consignação de sneakers, possui uma variedade de lançamentos e exclusividades que geram uma grande rotatividade no mercado secundário.

André sempre que possível faz transações de compra e venda via StockX, mas um de seus últimos envios, do modelo Yeezy 500 "Salt" comprado diretamente em uma loja física da Adidas Brasil, teve a autenticidade negada pela plataforma, que "automaticamente" classificou a silhueta como falsa. 

(Foto André Henrique)

É isso mesmo que você leu! Um produto com detalhes comprobatórios que conduzem sua veracidade e comprado diretamente da própria marca que o  confecciona sendo enquadrado como "fake".

 

(Fotos The Game / André Henrique)

 

O caso aconteceu recentemente e nós conversamos com André para entender o ocorrido:

 

Rodrigo Dhakor: - Você já está a quanto tempo no mercado?  

André Henrique: - Há 2 anos como loja.

 

Sempre negociou com o StockX ou foi a primeira vez?  

Negocio há aproximadamente 1 ano e já são em torno de 150 transações.

 

Como foram as outras negociações ou pedidos de legit (autenticidade)?

Eles têm por procedimento a realização do legit check em 100% das transações. Como somente trabalho com produtos originais nunca tinha tido problema com eles.

 

Qual a sua opinião sobre essa experiência com a plataforma? E você acha que a não autenticidade se deu pelo fato de ser um Yeezy com tag BR?

Esse caso, foi algo que na minha opinião demonstra falta de treinamento do profissional que executou o legit check. Creio que a questão da Tag Br não seja algo determinante nesse caso, pois os Yeezys vêm de diversas partes do mundo com diversas Tags, e inclusive a Tag que mais potencialmente são “suspeitas” são as Tags Us.

 

Acredita que eles não são capazes de tomar decisões com extrema confiança? 

Apesar do ocorrido tenho confiança que a StockX assim como qualquer empresa busca melhorias a fim de atender o cliente final da melhor forma, porém esse descritério no legit pode enfraquecer a imagem sólida que a empresa mantém nos dias de hoje.

 

O tênis foi devolvido?

Sim, e ainda solicitei um segundo legit por se tratar de um produto comprado diretamente da Adidas, porém sem sucesso. 

 

Procurou a Adidas BR (loja física onde foi efetuada a compra) para relatar o ocorrido?

Estou aguardando o tênis chegar dos Estados Unidos para tomar providências.

 

Em relação ao tênis. Ele foi comprado diretamente de um drop na Adidas, acredita ser possível o “fake” acusado no legit do StockX?

O tênis foi comprado na loja física da Adidas por mim e com cupom fiscal comprobatório.

 

Além da devolução, ocorreu também problema com a logística da UPS, que coletou outro tênis mas não entregou ao destino?

Esse foi um outro caso recente.... toda venda feita pela StockX gera um número de rastreio, onde por ele é possível checar qual a localização do tênis no processo. Agendei a retirada do tênis na minha casa assim como faço em todos os casos. A empresa de logística UPS retirou o produto em casa, tudo aparentemente normal. Porém o status da entrega se mantinha sempre pendente. Contatei imediatamente a UPS, e foi gerado um protocolo afim de esclarecer o caso. Porém o prazo dado pela StockX para postagem do produto é de 48hs. Como a UPS não solucionou o caso dentro desse prazo, a minha venda foi cancelada e eu fui taxado em US $15,00 conforme procedimento da empresa. O tênis apareceu depois de 5 dias na sede da StockX e eles me reenviaram o tênis.

 

 

(Foto The Game / André Henrique)

 

O StockX não garante nenhuma apuração diferente? 

O que eu sugeriria para a StockX seria apurar o real culpado pelo problema e flexibilizar o prazo de entrega, tudo isso antes do cancelamento da venda.

 

O número esmagador de tênis falsos inundando o mercado é o que mantém o StockX em movimento, com suas atividades a empresa acaba de chegar no patamar de 1 bilhão de dólares e diz que seu sucesso também se distingue de outros canais de vendas por meio de sua dedicação e respeito aos consumidores e revendedores, é possível acreditar nessa transparência?
Creio que sim, vejo isso como parte do processo de melhoria da empresa. A questão da outra venda onde a UPS perdeu o item é algo que deve ser revisto, afim de evitar problemas para os revendedores.

 

A taxa de sucesso de verificação do StockX, segundo Josh Luber, é de 99,99% e existe apenas (devido a erro humano) 0,01% de chances de produtos falsificados passarem pelo processo de autenticação. Para quem acha que essa “constante” é verdadeira, seu caso pode ser um alerta de que não existe lógica alguma nos processos executados pela empresa? 

Creio que a padronização de atendimento, devido ao grande número de transações diárias junto com o crescimento rápido da empresa, são fatores que jogam contra essa “constante” e devem ser cuidados pela empresa, pois o descritério no legit check é algo que gera descrédito da empresa. Na minha opinião esse numero de 0,01% de chances não é real. Eu mesmo tive duas experiências falhas, uma no legit check e outra no operacional com a UPS. Será que o CEO da StockX iria dizer que o percentual de chances aumentou? Creio que não.

 

Que conselho você daria a outros resellers que acham a StockX uma das melhores plataformas do mercado de revenda?

Eu continuo indicando a plataforma, porém assim como qualquer empresa, a StockX têm suas falhas. Procure sempre manter comprovantes de embarque do produto, reúna tudo que possa ser usado para demonstrar que o tênis é legitimo e foi devidamente enviado dentro do prazo ... do mais, boas vendas!