“É Um Começo”: A Primeira Coleção De Raf Simons na Prada

“É Um Começo”: A Primeira Coleção De Raf Simons na Prada

Por Matheus Castro

O mês era Fevereiro, a notícia soou como um terremoto ou algo como um casamento real para os amantes da moda: Raf Simons, um dos mais notáveis designers de moda masculina, foi nomeado co-diretor criativo da toda-poderosa italiana Prada ao lado de Miuccia Prada, uma das vozes mais importantes na moda cujo trabalho mostra uma rara fusão de intelecto e emoção.

Com o anúncio, não faltaram especulações e videntes debatendo sobre a possível performance do designer belga e a hipotética execução desta parceria durante o Milão Fashion Week em setembro (aqui estamos!). Foram meses de animação e ansiedade para este dia que finalmente chegou. A Prada apresentou hoje sua coleção feminina de primavera 2021 que marcou a estreia de Raf em seu novo cargo.

A marca optou pelo formato digital de desfile em um cenário amarelo vazio com cortinas e câmeras por todo lado capturando cada nuance dos modelos que, por sinal, nunca haviam pisado em uma passarela até hoje. Televisões indicavam o nome de cada um à medida em que entravam, detalhe bastante interessante que pode vir a ser explorado por outras marcas.

Foto: Divugação

Desde quando Miuccia assumiu as rédeas do empreendimento de couro centenário da família, seu objetivo sempre foi transformá-lo em uma marca elegante, inovadora e prática. A Prada é sobre isto. Após todos estes anos à frente da instituição, Miuccia Prada transcende produtos e cria tendências próprias. Não estou falando de tênis, camisas, acessórios que, após uma temporada, todos começam a usar e em seguida se tornam obsoletos. Estou falando da criação de “moods”, estéticas e uniformes atemporais, peças reduzidas aos contornos mais essenciais, que tornam a Prada uma marca de linguagem própria que ressoa em uma cultura maior.

Eu estava pensando em como descobri a Prada ao longo de 25 anos, e uma coisa que saiu imediatamente foi uniforme. Um uniforme dá um senso de comunidade. Em um contexto de redução, a ideia de um uniforme é uma representação da longevidade. Com toda a franqueza, tenho olhado para Miuccia, como ela está vestida, seu uniforme. É o que ela acha importante”, disse Simons no bate-papo pós-show, onde os designers responderam perguntas enviadas por pessoas ao redor do mundo. E foi assim que o show teve início, com uma espécie de “novo uniforme” construído a partir dos anos 90 com calças estreitas, camisetas sem manga em comprimento de túnica e saltos gatinho em cores contrastantes.

No entanto, o aspecto comercial falou mais alto nestes looks com a incorporação de uma logomania executada de maneira extremamente over e de mau gosto. Talvez uma tentativa de agradar o consumidor influencer tiktoker que na próxima temporada estará inundando nossos feeds do Instagram com selfies onde só se irá ver um enorme logo triangular.

.

Foto: Divulgação

Fora isso, Raf Simons e Miuccia Prada conseguiram coexistir sem nenhum tipo de ego para a temporada de primavera 2021. Apresentaram uma coleção forte, com proposta chic focada na resiliência e no empoderamento da feminilidade. “O show é sobre como enfatizar a humanidade. É sobre mulheres, e tudo ao seu redor que as apoia, mostra seus caráteres”, disse Simons em nota.

Foto: Divulgação

Além disso, os códigos de ambas as partes estiveram fortemente presentes sem sobreposições. “É um começo”, declarou Miuccia quando Duscher Tang, de Xangai, perguntou: “Você está fazendo subtração ou adição?” As assinaturas e o design industrial de Raf conseguiram ser incorporados na coleção sem comprometer a estética da Prada. Algumas peças, a cara da Prada. Outras peças, a cara de Raf. Equilíbrio. Mutualismo.

Também foi possível reviver estampas geométricas icônicas, os “ugly prints”, das coleções de primavera/verão 96 e outono/inverno 96. Afinal quem não gosta de um throwback? Mas o mais importante é que a dupla não ficou dependente da nostalgia.

Foto: Divulgação

Sempre quando um designer chega a uma casa renomada, normalmente a primeira coleção define o tom de seu trabalho. Aqui, temos uma situação um pouco incomum visto que Raf e Miuccia estão trabalhando em conjunto. Logo, a mensagem é clara: o papel de Simons não é dissimular a histórica iconografia da Prada, mas sim expandi-la e impulsioná-la. Talvez ainda falte algo. Um elemento que faça queixos caírem. Afinal, dois cérebros pensam melhor do que um e estamos falando das duas mentes mais capacitadas da indústria da moda. Ainda assim, “é um começo”.