Por Que Marcas De Moda Estão Lançando Podcasts?

Por Que Marcas De Moda Estão Lançando Podcasts?

Por Matheus Castro

Nos dias de hoje, o podcast vem ganhando cada vez mais espaço na rotina das pessoas ao redor do mundo. Por ser um meio de comunicação extremamente versátil e multidirecional, assume grande importância na divulgação de informações, produção de conteúdo e conhecimento para públicos diversos, os quais possuem uma bagagem sociocultural também diversificada.

Este tipo de mídia surgiu a partir do ex-apresentador do programa “Countdown” da MTV, Adam Curry, em meados de 2004. Cansado dos meios radiofônicos tradicionais e de sua carreira na televisão, deu início a um longo processo de desenvolvimento sobre como criar uma transmissão diferenciada de programas de rádio personalizados. Adam produzia seus próprios programas com um computador, software de áudio e um microfone. 

O formato era parecido com os programas de rádio: 30min, abertura, música, vinhetas, notícias. Após finalizado, o show ficava disponível na internet de forma que qualquer um pudesse acessar. Assim nascia um fenômeno inovador e revolucionário, principalmente para ouvintes mais exigentes com a grade de uma rádio convencional. Agora, o usuário não precisa ficar à mercê da programação pré-estabelecida da indústria radiofônica. O podcast chega para se tornar um meio alternativo de conteúdo sonoro capaz de descentralizar a informação de maneira prática, versátil e variada. Em 2018, 48 milhões de pessoas, só nos Estados Unidos, sintonizaram em podcasts a cada semana, um número que é seis milhões superior a 2017, de acordo com pesquisa feita pela Edison Research. 

Não demorou muito para que este tipo de mídia caísse no gosto de fashionistas e grandes grifes ao redor do mundo. Hoje, o formato é usado por eles para entrevistas com insiders da indústria e amigos das casas. Um dos motivos principais para tal adoção é o fato de que, cada vez menos, marcas de luxo se aprofundam em histórias sobre si mesmas em mídias tradicionais. Logo, utilizam os podcasts como plataformas para expandir a narrativa da organização. 

Como exemplo, temos a Chanel, que em 2017 lançou o podcast "3.55" na famosa concept store parisiense "Colette" (descanse em paz) como uma celebração dos últimos dias da loja antes do fechamento. Apresentado pela jornalista Daphné Hézard e a escritora Amanda Harlech, os primeiros episódios do programa contaram com a participação de amigos da casa, como Pharrell Williams. A partir de então, o "3.55" passou por séries temáticas como a "Handbag Stories", anedotas de diversos amantes de bolsas Chanel, e mais recentemente "Chanel At The Opera", que traz conversas sobre criatividade com coreógrafos, dançarinos e atores. 

Amanda Harlech e Stella Tennant no podcast "3.55" / Foto: Chanel

A Gucci seguiu os mesmos passos com o "The Gucci Podcast", trazendo entrevistas com o diretor criativo, Alessando Michele e colaboradores como a cantora Florence Welch e o designer do Harlem Dapper Dan. Cada episódio é gravado em uma locação diferente e busca pintar uma imagem mais vívida da história da marca a partir da perspectiva de um convidado familiarizado com a produção do programa. 

Gugu Mbatha-Raw e Scarlett Curtis no "Gucci Podcast" / Foto: Divulgação

A Maison Margiela lançou o "The Memory Of... with John Galliano" , um podcast que, assim como a Gucci, oferece aos ouvintes um olhar mais aprofundado nas inspirações por trás das coleções de Margiela e do lançamento de seus produtos. 

No segmento de beleza, podemos citar a Sephora com o "Glowing Up". Estes são alguns exemplos de marcas que têm adotado os podcasts como estratégia de marketing digital. No entanto, apesar de todos os esforços de investimento na produção de programas, a qual não possui custo muito alto, nenhum destes mencionados chegam ao "Top 200" do Apple Podcasts, onde as posições são estabelecidas a partir de critérios como número de inscritos, downloads, avaliações e classificações. 

Embora os podcasts feitos por marcas de moda não possuam ampla audiência em comparações gerais, eles conseguem ser uma alternativa bastante efetiva para um engajamento de qualidade com clientes fieis. A mesma estratégia também é usada quando estas próprias marcas trabalham com micro-influenciadores que promovem uma conexão profunda com seus seguidores. 

"Os podcasts são uma ótima tática - eles não serão sua tática de alcance mais ampla. Você costuma ter apenas o seu público mais zeloso, mas consegue um envolvimento realmente de qualidade com eles", disse Jason Goldberg, diretor de estratégia comercial da Publicis