Depois de conflito, Índia proíbe 59 apps, incluindo TikTok e WeChat

Depois de conflito, Índia proíbe 59 apps, incluindo TikTok e WeChat

Por RODRIGO DHAKOR

Na segunda-feira (29), a Índia decidiu por proibir o acesso a 59 aplicativos para smartphone, a maioria de origem chinesa, incluindo TikTok, UC Browser da Alibaba e WeChat da Tencent, citando preocupação com segurança. 

"Os aplicativos são prejudiciais à soberania, integridade e defesa da Índia, segurança do Estado e ordem pública", afirmou o Ministério da Tecnologia da Informação do país.

O anúncio foi divulgado algumas semanas após o confronto entre militares das duas potências na fronteira himalaia. "O governo indiano decidiu não autorizar o uso de determinados aplicativos ... Essa decisão busca garantir a segurança e a soberania do ciberespaço indiano", ressaltou o Ministério de Tecnologia da Informação em comunicado. 

(Fotos Reuters)

Segundo o comunicado, essa medida foi tomada depois que o ministério recebeu várias denúncias de supostos roubos de dados e violações das regras relativas ao respeito à privacidade. Não foi divulgada a data na qual a proibição entraria em vigor.

As empresas mencionadas se preocupam pois os celulares chineses representam 65% do mercado indiano, e aplicativos de vídeo como o TikTok e o Helo são muito populares entre os jovens. O número de usuários do TikTok na Índia é de cerca de 120 milhões, o maior mercado internacional do aplicativo.