Google e Apple divulgam outros detalhes sobre sistema de rastreamento ao coronavírus

Google e Apple divulgam outros detalhes sobre sistema de rastreamento ao coronavírus

Por RODRIGO DHAKOR

Na última segunda-feira (04), o Google e a Apple divulgaram novas informações sobre o projeto e sistema de rastreamento, que tem como objetivo indicar, por meio de conexão Bluetooth Low Energy, se o usuário esteve perto de alguém contaminado com à COVID-19.

Foram divulgados exemplos de interface para possíveis aplicativos e dados sobre como o sistema será utilizado. Além disso, as empresas destacaram como irão permitir notificações de exposição retroativa ao usar Chaves ou Keys criptografadas para preservar a privacidade dos usuários.

Veja como isso deverá funcionar:

(Foto Google)

As imagens compartilhadas abaixo evidenciam a maneira como as notificações funcionarão em termos práticos. Também é possível ver que é intenção das empresas solicitar que os usuários deem total consentimento para que sejam constantemente rastreados.

Para ajudar no desenvolvimento de aplicativos por agências de saúde pública, as empresas compartilham uma biblioteca de códigos de referência (SDK para Android e ferramentas Xcode para iOS).

(Fotos Apple)

Tanto o Google quanto à Apple se recusaram a nomear os parceiros que têm interesse na iniciativa. No entanto, eles disseram que foram abordados por vários governos para desenvolvimento do projeto. No entanto, as companhias salientam que vão restringir o sistema a um único aplicativo por país.

Governo do Reino Unido seria um dos que estão pensando em usar a API desenvolvida para rastrear usuários que têm ou podem ter contraído o novo coronavírus.

Segundo o Financial Times, as autoridades da região pagaram um fornecedor da área de TI para investigar se é válido usar a tecnologia que está disponível para os sistemas operacionais móveis Android e iOS.

As empresas estabeleceram seis princípios específicos que os parceiros que aceitarem trabalhar no projeto deverão seguir. O mais notável deles, como era de se esperar, estabelece que os aplicativos sejam usados apenas para os esforços de resposta à COVID-19, ficando impedidos de usar os serviços de localização para qualquer outro fim. A publicidade direcionada também está efetivamente proibida. Ao fim do período de pandemia, as empresas se comprometem a interromper o sistema.

A API desenvolvida pela Apple e pelo Google tem o seu lançamento previsto para o final do mês de Maio. E será projetada também para remover as restrições na maneira como eventos relacionados a contatos são salvos nos smartphones. Só que essa API só poderá ser usada em aplicativos que não salvam os dados pessoais dos usuários em servidores centrais.