Linha de ônibus por aplicativo UBus é paralisada pela prefeitura de São Paulo

Linha de ônibus por aplicativo UBus é paralisada pela prefeitura de São Paulo

Por RODRIGO DHAKOR

Por Rodrigo Dhakor

Na última semana, um novo aplicativo começou a operar na mobilidade de São Paulo: o UBus, uma espécie de "Uber de ônibus". O novo sistema faz parte da empresa de transportes Metra e a plataforma UBus, onde a proposta é conectar passageiros a veículos de transporte coletivo. 

O UBus foi lançado para operar inicialmente em uma rota entre a região da Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, na zona sul de São Paulo, e São Bernardo do Campo, região metropolitana do Grande ABC e a ideia era ir expandindo sua atuação. Mas, uma semana depois, o serviço teve que ser paralisado: para a Prefeitura de São Paulo, a nova modalidade é "clandestina".

Por meio das redes sociais é possível perceber que a linha 376-SBC, como foi identificada, agradou à maioria dos usuários que já testaram o serviço. O ônibus oferece vários itens de conforto, como poltronas reclináveis, ar condicionado, bagageiro, Wi-Fi e tomadas USB.

(Foto Metra)

O aplicativo UBus está disponível para Android e iOS. Por meio dele, o usuário informa os pontos de origem e destino, define o horário em que deseja viajar e reserva seu assento no ônibus — como o veículo tem padrão rodoviário, os passageiros não viajam em pé.

Ao final da operação, é gerado um QR Code que deve ser apresentado na hora do embarque. As informações dos passageiros aparecem para o motorista em um tablet, indicando em quais pontos o ônibus possui parada para embarque e desembarque. 

A passagem custa R$ 14,50, quase três vezes o valor de um ônibus metropolitano normal. A tarifa pode ser paga com cartão de crédito ou via cartão de transporte BOM. Porém, segundo o cálculo da empresa que opera a linha, é estimado que quem utiliza o serviço da Ubus economiza cerca de R$ 7 mil (por ano) comparado a quem percorre o mesmo trajeto utilizando um carro.

(Foto Diário Transporte)

A EMTU é uma empresa controlada pelo Governo do Estado de São Paulo. Os ônibus foram impedidos de circular pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes da Cidade de São Paulo. Aparentemente, a suspensão da linha é efeito de uma falta de comunicação entre os dois órgãos.

Em nota, o órgão ligado à prefeitura informou que "o serviço UBus não está credenciado e, portanto, é clandestino. O credenciamento visa garantir a segurança dos munícipes e prevenir a ocorrência de acidentes".

Por conta disso, a Metra foi obrigada a interromper o serviço. Na segunda-feira (30/09), a companhia chegou a ter um dos ônibus da linha apreendido por agentes da prefeitura da capital.

Procurada, a UBus explicou que a sua plataforma continua em funcionamento, pois a empresa não é uma concessionária, apenas presta serviços de tecnologia.

Já a Metra reforçou que tem autorização para circular entre São Bernardo do Campo e São Paulo, e que os veículos da linha são novos, portanto, estão em perfeitas condições de rodar. Nas redes sociais, a companhia tem explicado aos passageiros que o seu setor jurídico já está recorrendo para retomar a operação.