Porsche e Boeing assinam acordo para trabalhar em aeronaves eVTOL Premium

Porsche e Boeing assinam acordo para trabalhar em aeronaves eVTOL Premium

Por RODRIGO DHAKOR

Por Rodrigo Dhakor

Uma das grandes novidades dos últimos dias detalha que a Boeing e a Porsche assinaram um memorando de entendimento (MOU), para analisar o mercado de aeronaves elétricas premium de decolagem e aterrissagem vertical (eVTOL)

A Porsche diz que deseja projetar uma aeronave e a Boeing possui o conhecimento aerodinâmico - daí a conexão. As notícias introduziu alguns interesses e também adicionou pontos decisivos nas montadoras e na aviação. 

Apesar de não adiantarem quando poderão começar testes, um estudo da Porsche Consulting feito em 2018, prevê que este mercado de aeronaves eVTOL poderá crescer significativamente a partir de 2025 – o que sugere que o primeiro protótipo esteja operando em meados desse período.

(Foto uncrate)

O mesmo estudo indica que o transporte aéreo permite não só deslocações mais rápidas, como também mais eficientes do que os meios convencionais atuais, a um custo mais baixo e com maior flexibilidade.

O responsável de vendas e de marketing da Porsche, Detlev von Platen, afirma que a marca alemã está explorando formas de "aumentar o espectro de fabricante de carros esportivos, de modo a tornar-se uma marca líder em mobilidade premium. A longo prazo, isso implicará em uma terceira forma de viajar".

De acordo com o executivo da Boeing NeXt, Steve Nordlund, a parceria fornecerá "uma oportunidade para investigar o desenvolvimento de um veículo de mobilidade aérea urbana premium com uma marca automotiva líder". Com ênfase no premium – essa não será uma aeronave para o cidadão comum.

Atualmente, existem apenas desenhos do que poderá ser o referido protótipo de um carro voador: muito estilizado, surge com asas curtas, linhas acentuadas e elegantes que aparentemente são inspiradas nos designs icônicos de carros da Porsche, ao estilo superesportivo.

Infelizmente, teremos que esperar até que haja mais informações concretas, pois toda nova combinação de aerodinâmica, engenharia, estilo e inovação de precisão para acelerar a mobilidade aérea urbana em todo o mundo deverá acontecer apenas em 2025.