Primeira Ferrari elétrica chegará com tecnologia pioneira só depois de 2025

Primeira Ferrari elétrica chegará com tecnologia pioneira só depois de 2025

Por RODRIGO DHAKOR

A primeira Ferrari elétrica possivelmente chegará daqui uns anos, disse o representante comercial da empresa, Enrico Galliera, em uma entrevista concedida à Autocar, onde firmou que o veículo deverá ser lançado somente depois de 2025.

De acordo com ele, ela virá com alguma grande inovação, isso porque o veículo tem uma série de exigências em desempenho.

Recentemente, alguns boatos de uma patente da Ferrari começaram a circular, mostram um carro de dois assentos e possivelmente o estilo esportivo clássico. Os rumores ganharam força recentemente, mas a empresa não confirma o vazamento.

(Foto Autocar)

A Pininfarina, outra marca de carros esportivos ao estilo Ferrari, confirmou o lançamento de seu carro elétrico, o lançamento acontece até mesmo antes de 2025, algo que não deve afetar a Ferrari, comenta Galliera.

O representante disse também que algumas empresas estão se preparando para entrar nesse mercado nos próximos anos, mas isso não deve ser um problema para a Ferrari, isso porque a empresa tem um nicho muito específico.

Isso também não desperta o interesse da Ferrari em apressar as coisas em veículos elétricos, conta Galliera. Ele comenta que a Ferrari faz supercarros e que a empresa acredita que o setor de carros elétricos ainda não tem tecnologia suficiente para desenvolver um veículo como o deles. Mas, dentro de uma janela de cinco anos, acreditam que essa tecnologia será desenvolvida, tornando possível a fabricação de um modelo.

O Reino Unido tem registrado uma série de medidas para a proibição da circulação de veículos que utilizam combustível fóssil nos próximos anos, algo que Galliera comenta não ser um problema, "não acreditamos que tais regulamentações vão nos forçar a fazer planos especiais", comenta.

Outro comentário interessante do representante diz respeito à novidades tecnológicas, "se formos trazer alguma tecnologia, então precisamos trazer algo novo para o mercado".