Rock in Rio tem a edição mais hi-tech da história

Rock in Rio tem a edição mais hi-tech da história

Por RODRIGO DHAKOR

Por Rodrigo Dhakor

Rock in Rio deve apresentar ao público um dos momentos mais tecnológicos da história nesta edição. Reconhecimento facial, realidade virtual e até um robô, esses serão os serviços que o festival oferecerá a partir de hoje (27), e a expectativa é que os sete dias gerem *100 TB de tráfego de dados de internet durante todo o evento (35% a mais que toda a Copa do Mundo de 2014).

*Esse número corresponde a 2 milhões de horas de streaming de música ou 28 milhões de fotos disponibilizadas em alta resolução.

Um dos destaques da tecnologia é um robô industrial que deverá atender como uma espécie de bartender dentro de um bar do futuro, feito em parceria com a Heineken e a ABB. YuMi (nome do robô) deverá servir apenas água, para lembrar aos consumidores a importância do consumo responsável de bebida alcoólica.

(Foto Brenno Carvalho)

O evento também contará com câmeras que monitorarão em tempo real a fila das arenas onde vão ocorrer disputas de games e atrações. Nos banheiros, as catracas terão sensores para medir o fluxo das pessoas e segundo Pedro Marques, diretor de operações do Rock in Rio, essas informações estarão disponíveis no aplicativo do evento.

No espaço Globoplay, o público poderá assistir os shows principais como se estivesse ao lado do artista. Tudo possível por meio das estações de realidade virtual (RV) e um sistema de câmeras que filmam em 360 graus e em 8K (resolução de ultra-alta definição) e HDR (recurso que eleva a qualidade com mais brilho e contrastes).

Tatuagens digitais serão possíveis por meio de um scan na pele feito com celular, no espaço do Submarino. Os organizadores garantem que a tatuagem sai em alguns dias. A Oi  fornece a infraestrutura do evento, e instalou o sistema de reconhecimento facial para controlar a entrada e saída de pessoas. 

Ah!, e para a alegria geral da nação, o wifi será gratuito para qualquer pessoa.