Toshiba abandona mercado de computadores

Toshiba abandona mercado de computadores

Por RODRIGO DHAKOR

Com a criação do primeiro microprocessador pela Intel em 1971 a computação pessoal ganhou todo um universo de possibilidades, impulsionado não apenas por colocar um computador em cada lar, mas também por tornar o computador um elemento móvel.

Uma das empresas com participação direta em toda essa história é a japonesa Toshiba, que infelizmente está abandonando o mercado da computação pessoal de forma definitiva, dando prosseguindo a uma movimentação que começou lá em 2018, quando a Sharp, que pertence à Foxconn desde 2016, comprou 80,1% das ações da sua subsidiária Toshiba Client Solutions Co., Ltd (TCS) por US$ 36 milhões. Agora, a Toshiba completa a transação, passando 19,8% das ações para a Sharp.

"A Toshiba, por meio deste, anuncia que transferiu 19,9% das ações em circulação da Dynabook Inc. que detinha para a Sharp Corporation. Como resultado dessa transferência, a Dynabook se tornou uma subsidiária integral da Sharp […]

[...] Em 30 de junho de 2020, nos termos do contrato de compra de ações, a Sharp exerceu uma opção de compra para as ações restantes em circulação da Dynabook detidas pela Toshiba, e a Toshiba concluiu os procedimentos para sua transferência.", diz o comunicado  da Toshiba.

Desde a aquisição pela Sharp, os notebooks da Toshiba foram renomeados para Dynabook, uma marca que é bem conhecida no Japão. Evidentemente, a carga história da Toshiba com o mercado de portáteis se deu por outras linhas, como "Tecra", "Portégé" e "Satellite Pro". Foram essas linhas que fizeram com que a Toshiba liderasse o mercado de computadores portáteis, segmento que ajudou a revolucionar com o lançamento do T1100, primeiro computador portátil compatível com IBM PC, que fez sua estreia em 1985.

(Foto Toshiba)

Esta máquina tinha apenas 256 KB de RAM e tela LCD monocromática com resolução de 640 x 200 pixels. O processador era o Intel 8086, de 4,77 MHz, o notebook também tinha bateria recarregável e o uso de disquete de 3,5 polegadas. O T1100 pesava 4,1 Kg e media 30 x 30,5 x 6,5 centímetros. 10.000 unidades foram vendidas em um ano, a US $ 2.000 /cada (o equivalente a US $ 4.500)

A força que a Toshiba precisou para entrar no segmento veio da também japonesa Sord Computer Corporation, fundada por Takayoshi Shiina. Essa empresa desde 1973 vinha investindo no mercado de microcomputadores, o SMP80/08, lançado naquele ano, foi o primeiro microcomputador equipado com o chip Intel 8008. A partir de 1985, a Sord Computer Corporation passou a trabalhar em conjunto com a Toshiba e virou uma subsidisiária em 1999.

O crescimento de Lenovo, Dell e HP acabaram minando a Toshiba, mesmo assim, em 2011 a empresa atingiu o seu pico de vendas – 17,7 milhões de PCs vendidos. Em 2016, a Toshiba resolveu para de vender notebook para o consumidor final na Europa, mercado muito importante para a história empresa, e passou a se concentrar com a venda para clientes empresariais.

E assim é a história da tecnologia: gigantes nascem, gigantes morrem.