Uber não deverá mais desenvolver seu próprio carro autônomo

Uber não deverá mais desenvolver seu próprio carro autônomo

Por RODRIGO DHAKOR

Uber acaba de anunciar que vai abandonar o projeto de desenvolver seu próprio carro autônomo, segundo informações do jornal britânico Financial Times.

A empresa vai passar toda sua unidade de pesquisa e desenvolvimento da tecnologia à rival Aurora, uma startup de veículos autônomos financiada por gigantes como Amazon e Sequoia.

A plataforma vai transferir 1.200 funcionários para a Aurora, que atualmente tem 600 empregados, além de investir U$ 400 milhões. O gigante de transporte vai ter uma fatia minoritária na startup, atualmente avaliada em U$ 2,5 bilhões, após um aporte de U$ 530 milhões liderado pela Sequoia em 2019.

A Uber foi uma das primeiras a sonhar com a possibilidade de que carros autônomos pudessem ser uma alternativa viável para a operação da empresa, que investiu bilhões em pesquisa e desenvolvimento da tecnologia, entrou em disputas com o Google por causa de acusações de roubo de propriedade intelectual, e até mencionou os carros autônomos em seu prospecto de IPO, no ano passado, como uma tecnologia que poderia coexistir junto com os motoristas parceiros.

(Foto Uber)

Apesar disso, a ambição da Uber começou a tomar um contorno diferente a partir de 2018, quando um carro da empresa atropelou e matou uma pedestre em Tempe, no Arizona, durante a fase de testes do projeto. Posteriormente, foi revelado que o software tinha falhas e que o motorista presente no veículo, que deveria tomar o controle caso algo desse errado, não estava prestando atenção.

De lá para cá, a divisão responsável pelo desenvolvimento de um carro autônomo dentro da Uber, chamada de Grupo de Tecnologia Avançada (ATG, na sigla em inglês), foi de mal a pior. Segundo informações de uma reportagem do portal The Information deste ano, a divisão apresentou resultados pequenos e estava repleta de disputas internas, com a direção da Uber preocupada se teria de investir mais dinheiro para salvar o projeto. A empresa colocou mais de U$ 2,5 bilhões na ideia.

"O carro não dirige bem", disse um gerente da ATG em um e-mail com um relatório de 1.500 palavras enviado ao CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, que o The Information teve acesso.

O número de críticos do trabalho e dos problemas envoltos em torno da ATG tem crescido nos últimos meses e inclui ainda o antigo diretor de tecnologia da Uber, Thuan Pham, que deixou a empresa em maio, pouco antes de uma demissão massiva realizada pela companhia, que dispensou 25% de sua força de trabalho em todo o mundo.

"Nos últimos dois anos, eu periodicamente levantei preocupações com Dara sobre por que não estávamos fazendo progresso significativo na área de carros autônomos e especificamente clamei que ele fizesse perguntas específicas para abordar o assunto ele mesmo", disse Pham.

No ano passado, um consórcio entre a montadora Toyota e o conglomerado SoftBank aportou U$ 1 bilhão na Uber para aprimorar a divisão de carros autônomos da empresa. As empresas farão parte da entrada da Uber na Aurora, que agora passa a valer U$ 10 bilhões. Uber e seus parceiros terão 40% da Aurora, sendo que 26% serão exclusivos da empresa de transporte. Dara Khosrowshahi, passa a ser um membro do conselho executivo da startup.

Com o negócio, a Aurora não só quadriplica de valor como também ganha acesso a fornecedores e clientes: a empresa se aproxima da Toyota e ganha a possibilidade de negociar com a líder do mercado de viagens pagas no futuro.


✔️ Produto adicionado com sucesso.